Blog » 2013 » dezembro

Pecan – Glossary

Related to the walnut, pecans are native to America, and grow enclosed in a glossy, browny-red oval shell. The kernel inside shares the walnut’s trademark grooved surface but has a slightly more even, oval shape. Its skin is a warmer, lighter brown, and the nut itself is creamier in colour.

Sweet and rich, the pecan’s distinct flavour and texture is the result of its high levels of monosaturated oil – in fact, it’s the fattiest of all nuts. It goes well in both savoury and sweet dishes, most famously pecan pie, a classic recipe from the American south.noz-pecan

Availability

Shelled pecans are available all year round. Unshelled pecans are around during autumn.

Choose the best

When buying unshelled pecans, look for those that are smooth and uncracked and avoid those that rattle when they’re shaken. Shelled pecans should be sold in airtight packaging.

Prepare it

Pecans in their shells can be opened using a nut cracker. Eat raw, as they are, or toast to bring out more of their flavour: place the nuts on a baking sheet in a single layer and bake on a medium heat for 10-12 minutes. They are ready when the kernels turn golden.

You can achieve the same effect by dry frying them: put in a dry frying pan over a medium heat, and keep the pan moving to make sure they colour evenly and don’t burn.

Store it

Unopened packets of pecans should be stored in a cool, dry place – they’ll last for up to 3 months. Once opened, they should be kept in an airtight container in the fridge and eaten with in 7 days.

Cook it

Add to salads or muesli; use for baking; eat on its own, or as a snack to accompany drinks.

Comer nozes todo dia pode aumentar a longevidade

Estudo da Universidade Harvard mostrou que pessoas que consomem alimentos como nozes, amêndoas e avelãs tendem a viver por mais tempo

cropped-fundo2

Comer uma porção de nozes, castanhas, amêndoas, avelãs e outras sementes oleaginosas todos os dias pode ser um dos segredos para a longevidade. Um estudo feito na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, descobriu que pessoas que têm esse hábito desfrutam de uma melhor qualidade de vida do que aquelas que nunca consomem esses alimentos. Elas também costumam viver por mais tempo e correr menos risco de morrer por causas como câncer e doenças cardíacas e respiratórias. A pesquisa foi publicada nesta quinta-feira na revista The New England Journal of Medicine.

O estudo se baseou nos dados de quase 120 000 pessoas que foram acompanhadas durante 30 anos. Os pesquisadores dividiram os participantes em grupos de acordo com a frequência com que comiam frutos como nozes – desde indivíduos que nunca consumiam até aqueles que ingeriam todos os dias.

De acordo com as conclusões, o risco de as pessoas que mais consumiam oleaginosas morrerem durante o estudo foi 20% menor do que o daquelas que nunca comiam esses alimentos. A prevalência de morte prematura também foi menor entre esses participantes. O resultado pode ser explicado também pelo fato de que as pessoas que mais comiam nozes praticavam mais atividade física, eram mais magras e não fumavam.

Os pesquisadores explicam que consumir oleagionosas ajuda a reduzir os níveis do colesterol “ruim” (o LDL) e a controlar a pressão arterial, inclusive em situações de stress.

Segundo os autores, muitas pessoas temem consumir esses frutos pelo seu alto teor de gordura. Diversos estudos, no entanto, mostraram que quem consome oleagionosas com maior frequência é menos propenso a ganhar peso. “As nozes contêm gorduras saudáveis e são ricas em proteínas e fibras, o que retarda a absorção dos alimentos e diminui o apetite”, diz Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública de Harvard e coordenador da pesquisa.

Fonte: Veja