Blog » 2015 » dezembro

Biscoitos fofos de noz pecan Receita

BISCOITOS FOFOS DE NOZ-PECÃ

Receita:

Temperatura do forno: moderada (180ºC)

Tipo do recipiente: fôrma retangular

Capacidade da xícara: 200ml

Tempo de forno: cerca de 20 minutos

Rendimento: cerca de 31 unidade

Ingredientes:

½ xícara (chá) de manteiga (90g)

1 xícara (chá) de farinha de trigo (110g)

2 colheres (sopa) de União Refinado (40g)

½ xícara (chá) de nozes-pecã picadas (50g)

1 colher (chá) de essência de baunilha (5ml)

8 nozes-pecã

1 pitada de sal

Modo de fazer:

Na batedeira, bata a manteiga com o açúcar UNIÃO e a baunilha. Coloque o sal e adicione a farinha aos poucos até obter uma massa firme e homogênea. Coloque as nozes e misture bem. Modele bolinhas com cerca de 9g e coloque em assadeira untada e enfarinhada. Sobre cada bolinha coloque ¼ de uma noz. Asse no forno preaquecido até que estejam levemente dourados. Deixe esfriar e guarde em recipiente hermeticamente fechado.

Dicas:

Caso queira substituir a manteiga por margarina, utilize somente as que contenham teor igual ou superior a 70% de lipídeos na sua composição.

Embale somente a massa crua, extraia o ar, etiquete e congele, por até 3 meses.Descongele em temperatura ambiente, sem retirar da embalagem.

Fonte:Cia União

Ceia de Natal: ‘Dulce Delight’ prepara mesa só com doces!

Confira o Natal de doces da chef Raiza Costa e assista ao último episódio da segunda temporada de ‘Dulce Delight’

Olha que mesa deliciosa! Faça um Natal só de sobremesas!  (Foto: sériesoriginais)

O Natal do Dulce Delight não poderia ser diferente e a chef Raiza Costa prepara uma ceia só de doces! Sabe quando você quer comer tudo no jantar e ainda tem que guardar um espacinho para a sobremesa? Esquece! Com essa ideia você vai se deliciar a noite inteira com gostosuras de lamber os dedos e raspar as panelas!

Imagina que delícia uma ceia de Natal assim!  (Foto: sériesoriginais)

Para encerrar a segunda temporada com chave de ouro e em clima natalino, Raiza Costa ensina a fazer uma Pecan Pie, uma torta de nozes super tradicional nos Estados Unidos. Na receita você pode utilizar qualquer tipo de nozes e ainda usar cream cheese na massa! Confira as nossas dicas que você terá um Natal docinho, docinho!

Veja como fazer a tradicional torta de nozes:

awewqeqwe

Fonte: GSHOW

Boas Festas!

2015-11-natal

Brownie de chocolate com noz pecan

Receita de Milena Addad e Magloni Franco, do Buffet Addad Franco

Brownie de chocolate com noz-pecã (Foto: Elisa Correa/ Editora Globo)

Rendimento 20 quadradinhos
Tempo de preparo 1 h + 12 horas de descanso da massa

Ingredientes
150 g de chocolate amargo;
100 g de chocolate ao leite;
80 g de manteiga;
2 colheres (sopa) de leite;
70 g de açúcar;
2 ovos;
40 g de farinha de trigo;
60 g de noz-pecã.

Modo de fazer
1 Derreta os chocolates em banho-maria com a manteiga e o leite. Cuidado para não deixar a água ferver ou a tigela encostar na água.
2 Tire o chocolate do fogo e adicione o açúcar e os ovos, um a um, misturando com um fouet. Acrescente a farinha e, por último, as nozes.
3 Distribua bem a massa em uma assadeira quadrada de 18 cm, de silicone ou forrada com papel-manteiga.
4 Asse por aproximadamente 25 minutos. Deixe descansar por 12 horas e corte em quadradinhos pequenos.

Dica dos chefs
Sirva os brownies em espetinhos, intercalados com marshmallows e frutas, como morangos e mirtilos.

Fonte: Revista Casa & Jardim

Aprenda a receita da torta de noz pecan com caramelo cremoso

Prato pode ser opção para ceia e almoço de Natal.

No Natal decidir o cardápio da família para a ceia e o almoço não é uma tarefa fácil. Por isso, pratos práticos e facéis de fazer são boas opções.

Aprenda como fazer uma torta de noz pecan com caramelo cremoso.

Ingredientes

Massa

150 gramas de farinha de trigo
75 gramas de açúcar refinado
60 gramas de manteiga sem sal
1 grama de sal
½ clara
1 gema

Recheio

350 gramas de açúcar
200 gramas de creme de leite fresco
200 gramas de creme de leite fresco**
1 colher de chá de essência de baunilha
100 gramas de noz pecan moída
20 gramas de noz pecan inteira
adicionar mais 50g de açúcar de confeiteiro

** a receita tem duas vezes o creme de leite fresco, pois uma quantia é para colocar no caramelo e a outra para bater o chantilly.

Modo de fazer

– Preparo da massa
Faça uma farofa com a manteiga gelada e a farinha de trigo, usando as mãos ou a batedeira com a raquete. Em seguida, em um recipiente, junte os ovos mais o açúcar e mexa. Depois, adicione tudo na farofa e amasse até ficar homogêneo. Deixe gelar por no mínimo 20 minutos para abrir a massa. Depois abra a massa sobre um filme plástico para não grudar na mesa. Asse a massa a 180ºC por uns 15 min ou até dourar.

– Recheio
?Para o recheio basta colocar o açúcar na panela e deixar virar caramelo. Quando formar o caramelo adicione o creme de leite fresco e em seguida a noz picada. Depois disso, deixe esfriar por 10 minutos. Para montar a torta coloque o recheio na massa assada e adicione as nozes pecan inteiras para decorar.

Essa torta é servida com uma colher de chantilly ao lado. Por isso, para o chantilly você precisa bater a outra parte do creme de leite até formar chantilly e servir.

Assista ao vídeo aqui

Fonte: G1

Apelo nutricional favorece mercado de nozes e castanhas

O consumo de nozes do tipo macadâmia e pecan, castanha brasileira e castanha de caju – mais conhecida como do Pará – tem aumentado em todo o mundo, graças à maior conscientização do consumidor sobre o valor nutricional e os benefícios que estes alimentos proporcionam à saúde. Praticidade e sustentabilidade são outros apelos para o crescimento deste mercado no Brasil.

De acordo com José Eduardo Mendes Camargo, diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Departamento do Agronegócio (Deagro), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a cadeia produtiva de nozes e castanhas e frutas secas – chamadas de nuts – cresce anualmente na faixa de 6% a 8%, movimentando US$ 35 bilhões em todo o mundo.

“Nos últimos dez anos, os preços destes produtos aumentaram cerca de 400%, em dólares”, informou Camargo durante o 6º Encontro Internacional de Castanhas, Nozes e Frutas Secas, promovido pela Fiesp, em São Paulo, no último dia 5 de outubro.

A receita brasileira com as exportações anuais alcança US$ 133 milhões. Atualmente, o País vende ao exterior castanha de caju, castanha brasileira, noz macadâmia e noz pecan. “A seca tem prejudicado a castanha de caju nos últimos anos, no entanto há bom potencial de crescimento”, afirmou.

Ele ainda apontou outros indicadores positivos para o setor. “A proibição de queimadas nas plantações de cana-de-açúcar deve liberar áreas em encostas para outras culturas, com boa expectativa para a noz macadâmia. Outra boa notícia é que a castanha brasileira passou a ser cultivada”, ressaltou Camargo, que ainda destacou o aumento da produção de castanha de baru.

PRODUTORES

Os maiores produtores mundiais de castanha de caju são Índia, Vietnã, Brasil e Nigéria. De acordo com o diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Deagro, o País produz, atualmente, 82 mil toneladas de nozes e castanhas.

“Para garantir o crescimento médio anual de 6,5%, previsto para os próximos seis anos, o produtor precisa de crédito, além de pesquisa e desenvolvimento”, comentou.

Embora as castanhas e nozes tenham qualidades nutricionais, sejam sustentáveis e proporcionem alta rentabilidade, ele ressaltou que o setor necessita de mais pesquisa com foco no aumento da produção e da produtividade.

“Também precisa comprovar as propriedades das castanhas e nozes como alimentos funcionais, como ocorre em outros países, e também sua importância para a indústria de cosméticos”, destacou Camargo.

Também presente durante o encontro da Fiesp, o vice-presidente de Inovação da Natura, Gerson Pinto, destacou o potencial das nozes e castanhas no segmento de cosméticos. “Trata-se de um mercado muito grande (o de cosméticos), e o Brasil já é o terceiro do mundo, atrás somente dos Estados Unidos e Japão”, ressaltou.

PESQUISA

Professora titular da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Silvia Cozzolino citou os resultados de uma pesquisa com a castanha brasileira, como fonte de selênio, mineral que potencializa o sistema imunológico e que funciona como antioxidante, participando do metabolismo dos hormônios da tireoide.

“Também tivemos efeitos positivos do consumo de uma castanha do Brasil ao dia, por pacientes com Alzheimer, com comprometimento cognitivo leve e no sistema imunológico de pacientes submetidos à hemodiálise”, contou a professora, durante encontro.

Pesquisador da Embrapa Instrumentação, Luiz Alberto Colnago apresentou algumas tecnologias disponíveis para produtores rurais e processadores de castanhas e nozes, como os testes não invasivos e de alta velocidade para determinação do teor e da qualidade do óleo de castanhas, “úteis para o melhoramento genético e controle de qualidade”.

Colnago citou ainda estudos sobre revestimento de nozes e castanhas com filme comestível, que ajudam a aumentar o tempo de prateleira.

NEGÓCIOS

Presidente do Conselho Superior de Inovação de Competitividade da Fiesp e fundador da Nutrimental, fabricante das barras de cereais Nutry, Rodrigo Rocha Loures destacou o potencial das nuts para atender aos desafios sociais, econômicos e de saúde do Brasil.

Adriana Miglorancia, presidente da Nutty Bavarian, empresa com mais de 900 pontos de venda no mundo, lembrou que no Brasil, até 1996, as nuts eram consumidas quase exclusivamente no Natal. “A marca conseguiu alcançar, com o passar do tempo, o consumidor brasileiro fora de épocas tradicionais, como as festas natalinas”, disse.

Vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e diretor de Relações Governamentais do Grupo Pão de Açúcar, Marcio Milan, que participou do painel sobre oportunidades de negócios, afirmou que antes a chance de vender nozes e castanhas era restrita ao final do ano, mas houve uma evolução neste sentido.

Mesmo assim, ele salientou que “precisamos discutir formas para ajudar a cadeia a se desenvolver ainda mais”.

SNA – Sociedade Nacional de Agricultura

Fonte: Meio Ambientário

O poder das nozes

A semente desse fruto de casca dura é a parte comestível que os antigos chineses já recomendavam para fazer bem ao organismo Elas têm cara de Natal. E é mesmo um presente para o paladar e para a saúde.

Deliciosas, as nozes fortalecem as defesas do corpo, auxiliam na formação de glóbulos vermelhos, ajudam a curar ferimentos mais depressa, fortalecem ossos e dentes e, ainda, atuam contra o envelhecimento das células. Com tantas qualidades, desses frutos de casca dura, e põe dura nisso, o que se come é a semente e elas podem e devem entrar no cardápio todos os outros dias do ano.

Mas qual é a melhor: a pecã, nacional, ou a importada?

Saiba que as duas são iguais. A noz importada da Europa e da América do Norte e a pecã brasileira (aquela mais comprida e de casca lisa) têm praticamente os mesmos valores nutricionais. Na verdade, a maior parte das mudas de nogueira pecã trazidas para o Brasil nos anos 70 vieram do sul dos Estados Unidos. Elas são tão poderosas que a ingestão diária dessas `cápsulas de saúde`, mesmo em pequenas quantidades, pode evitar – acredite! – até 65% o risco de doenças do coração. Isso porque reduzem as taxas de colesterol e a formação de coágulos no sangue, além de ter ação antiinflamatória.

Os responsáveis por esses benefícios são os ácidos graxos essenciais, principalmente o linolênico e o linoléico. Mais: contêm fósforo e potássio e pouco sódio, o que fortalece o músculo cardíaco. Os chineses sempre souberam das vantagens desse alimento. Como a nogueira é originária da Ásia, não é de se estranhar que um milenar ditado da região recomende comer uma noz ao dia para beneficiar o coração. Por serem ricas em antioxidantes, especialmente vitamina E e selênio, as nozes funcionam ainda como agentes de prevenção do câncer. E a mesma vitamina é importante para estimular a fertilidade masculina. Por outro lado, seus compostos chamados fitoestrogênios – aqueles encontrados também na soja – reduzem os problemas relacionados à menopausa.

Além disso, o fruto é rico em cálcio, fundamental para a saúde de ossos e dentes. Quem fuma ou vive em cidades poluídas encontra no alimento um grande aliado. Os antioxidantes presentes nas nozes melhoram a resistência pulmonar e reduzem os danos das toxinas inaladas. Essas substâncias aumentam ainda as defesas contra doenças, segundo pesquisa feita na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. E não acabou: ela é um dos itens com maior teor de vitamina B6. Só o gérmen de trigo e peixes como a sardinha ou o salmão, ganham da noz nesse quesito.

Essa vitamina atua no bom funcionamento do cérebro e na produção de glóbulos vermelhos. Mas ela engorda? Só para quem exagera no consumo. Para ter todos os benefícios, basta comer cinco nozes (28 gramas) ao longo do dia. Isso equivale a 193 calorias, o que é igual a duas barras de cereais. Você pode saboreá-las no café da manhã, com cereais e frutas ou batidas com leite; no almoço ou jantar, picadas na salada verde, sobre risotos, massas e molhos. No lanche, experimente misturá- las a frutas secas. É difícil encontrar outro alimento tão versátil!

Fonte: Revista Viva Saúde