Blog » 2016 » março

Feliz Páscoa!

2016-03-pascoa (1)

Cosméticos veganos com noz pecã ganham popularidade com respeito aos animais e ao meio-ambiente

Apesar de representarem um nicho crescente no mercado, produtos e formulações ainda carecem de regulamentação em todo o mundo.

Xampu e condicionador nutritivos EverCre?me, 100% vegan, segundo a (...)Isentos de ingredientes e subprodutos de origem animal e livres de testes em animais, os cosméticos veganos têm conquistado consumidores engajados com a causa “cruelty free” e preocupados com o meio-ambiente. “Ainda que essa indústria seja relativamente pequena, é um nicho crescente”, revela Amarjit Sahota, presidente do instituto londrino de pesquisa sustentável Organic Monitor.

A gigante francesa de cosméticos L’Oréal, por exemplo, já conta com produtos que dizem ser 100% veganos nas linhas EverStyle e EverCrème de tratamento para os cabelos. “Muitas marcas de cosméticos naturais e orgânicos estão adotando o selo Vegan Trademark, da organização britânica Vegan Society, porque querem ser atrativas para consumidores que evitam ingredientes animais por razões religiosas, éticas ou de saúde”, ele explica. Segundo Sahota, a Vegan Society é um dos poucos órgãos que certificam os produtos veganos, já que ainda falta regulamentação nesse mercado. Por isso, ele não descarta a possibilidade do consumidor encontrar falsos cosméticos veganos nas prateleiras. A leitura dos rótulos e o entendimento dos termos é fundamental para confirmar se o veganismo está presente de fato.

“A classificação de vegano deve-se única e exclusivamente ao fato do produto não utilizar animais em toda a cadeia produtiva, e isso vai desde o início do processo de desenvolvimento até a chegada ao mercado”, afirma Cândice Felippi, diretora da fabricante de matéria-prima Inventiva. Especializada no desenvolvimento de ativos a partir da nanotecnologia, a empresa, sediada em Porto Alegre (RS), buscou trabalhar somente com matérias-primas que não tivessem origem animal desde sua fundação, em 2008. “Para comprovar a segurança e a eficácia dos ativos desenvolvidos, fazemos somente testes in vitro ou em humanos”, completa Felippi. Um dos carros-chefes dos ativos veganos é a linha LV, para cuidados com a pele e com os cabelos.

Ela inclui o Nutrinvent Balance (associação de óleo de semente de abóbora, óleo de melaleuca e óleo de alecrim); o Nutrinvent Hair (hidrolisados de proteínas de soja, trigo e aveia com licopeno); o Nutrinvent Ômega Oil (Ômegas 3, 6 e 9 extraídos dos óleos de sacha inchi, noz pecã e linhaça em microemulsão) e o Nutrinvent Ômega (Ômegas 3, 6 e 9 extraídos dos óleos de sacha inchi, noz pecã e linhaça em Inventsferas®). “As nanopartículas da LV contêm somente matérias-primas orgânicas ou naturais.

A ideia da linha verde é fazer um mix de orgânico, vegano e natural”, conta Felippi. Segundo ela, os maiores desafios na produção de uma nanopartícula verde são o preço e a escolha do conservante. As matérias-primas verdes geralmente têm um custo mais elevado, que consequentemente se reflete no preço da nanopartícula. Além disso, há poucas opções de conservantes verdes disponíveis no mercado. De acordo com Felippi, quem busca um cosmético que alie o componente vegano ao natural ou orgânico deve estar atento a ambas as classificações nas embalagens, já que o produto vegano pode ter em sua fórmula conservantes químicos, parabenos e outros ingredientes considerados alergênicos. Felippi afirma que não existem muitas dificuldades para o desenvolvimento de um cosmético vegano, mas a diferença de valores pode ser grande.

“Como o fator preço é decisivo para a maioria das empresas na hora da compra, nossos pesquisadores sempre procuram fazer um estudo aprofundado para escolher matérias-primas com um bom custo-benefício e, assim, viabilizar o uso de ativos verdes em nossas formulações”.

Fonte: BrazilBeauty

Receita de Empanada da Daphne, do MasterChef Júnior

werwerewr

Daphne, uma das concorrentes mirins mais promissoras da primeira edição do MasterChef Júnior, venceu uma concorrida prova das empanadas, no programa. Como prêmio pela vitória, a “Empanada da Daphne” entrou para o cardápio do restaurante de Paola Carosella. Vamos ver como preparar esta deliciosa receita? Confira:

Ingredientes

500 g de farinha

200 g de patinho moído

115 g de banha de porco

2 cebolas roxas

1 xícara de azeitona preta sem caroço

1 xícara de uva passa

1 xícara de água

1 tomate italiano

1 dente de alho

1 coentro

1 limão Taiti

1 limão Siciliano

Vinagre de vinho branco (a gosto)

Pimenta do reino (a gosto)

Noz pecã moída (a gosto)

Páprica doce (a gosto)

Cominho (a gosto)

Orégano (a gosto)

Azeite (a gosto)

Sal (a gosto)


Modo de preparo

sdfsdfsdfRefogue um punhado de cebola com um dente de alho. Deixe dourar. Coloque um pouco de cominho e páprica doce. Na mesma panela, coloque a carne junto com mais cominho, páprica doce, sal, pimenta do reino e azeitonas. Quando a carne estiver cozida, coloque uma colher de requeijão e as uvas passas. Deixe esfriar.

Para a massa, peneire meio quilo de farinha. Em uma panela, esquente uma xícara de água com 10 gramas de sal. Desligue o fogo e coloque 115 gramas de banha de porco até derreter um pouco.

Coloque a farinha em uma tigela e jogue essa mistura na farinha. Misture tudo com uma colher. Sove a massa com a mão. Caso ache a massa farinhenta, coloque mais água. Depois de atingir o ponto, coloque a massa em uma tigela, cubra com plástico filme e deixe na geladeira entre 15 e 20 minutos.

Abra a massa em rodelas, do tamanho de uma xícara de boca grande ou cortador redondo, de espessura não muito grossa nem muito fina. Coloque uma colher de sopa de recheio. Molhe o dedo em água e passe na borda da massa. Feche em meia lua. Finalize o fechamento com um garfo. Pincele a empanada com leite e gema. Coloque para assar no forno bem alto até dourar.

Molho para acompanhar: Pique um tomate e meia cebola roxa em brunoise. Coloque o coentro, a páprica doce, o cominho, o orégano, o vinagre de vinho branco, raspas de limão Taiti, raspas de limão Siciliano, suco de meio limão Taiti, sal e pimenta do reino em uma tigela com bastante azeite. Misture bem. Adicione noz pecã moída ao final. Se quiser, decore com um limão cortado ao lado.

Tempo de preparo: 1h

Fonte: Areavip

Consumidas com moderação, nozes, castanhas e amêndoas ajudam a emagrecer

asdasd

As oleaginosas são ricas em proteína, potássio, fósforo, vitaminas do complexo B, vitamina E e selênio

Várias pesquisas vêm comprovando os benefícios que as oleaginosas podem trazer para a saúde e apontam que uma porção diária dessas frutas garante um coração mais protegido, combate o envelhecimento precoce a até contribui para a perda de peso.

Estudo realizado este ano pela Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, afirma que a ingestão diária de castanhas, nozes e amêndoas pode reduzir o LDL (conhecido como mau colesterol) em até 7,4% e os triglicérides em até 10%. Isso acontece por causa da grande quantidade de gorduras monoinsaturadas presentes nesses alimentos, que “limpam” as moléculas de colesterol das artérias.

As gorduras monoinsaturadas das oleaginosas contribuem para controlar a taxa de açúcar no sangue. E castanhas, nozes e amêndoas também são ricas em gorduras poli-insaturadas, como o ômega 6, que ajudam a manter o nível do HDL (o colesterol bom).

“As oleaginosas são ricas em proteína, potássio, fósforo, vitaminas do complexo B, vitamina E, gorduras boas (mono e poli-insaturadas) e selênio. Quando aliadas a uma dieta saudável, ajudam no controle da glicemia do sangue, na diminuição do LDL e na manutenção do HDL, além de terem ação antioxidante que combate o envelhecimento celular e contribuir para a perda de peso”, aponta a nutricionista Michelle Ferreira de Simone, especialista em nutrição esportiva.

Por tudo isso, especialistas recomendam que diabéticos e hipertensos consumam uma porção de nozes, castanhas e amêndoas por dia.

Para emagrecer

Além de todos os benefícios para a saúde, as oleaginosas também podem contribuir para a perda de peso e combater aquela gordurinha localizada na barriga. Os ácidos graxos ajudam a deixar a silhueta mais fina, ativando o metabolismo da queima de gorduras e eliminando o tecido gorduroso que se acumula na região abdominal.

Isso sem contar que essas sementes e frutas também aumentam a sensação de saciedade. Ou seja, você come menos, mas se sente satisfeito. Além de perder a vontade de comer doces e outros lanches pouco saudáveis e muito calóricos entre as refeições – o que, por si só, já é uma grande contribuição para o emagrecimento.

Uma boa dica é ingerir as oleaginosas antes das refeições, pois como as gorduras demoram mais para ser digeridas pelo organismo (e assim prolongam a sensação de saciedade), a tendência é consumir porções menores.

Mas Simone alerta que os benefícios das oleaginosas (tanto para a saúde como para o emagrecimento) só podem ser alcançados se elas fizerem parte de uma dieta saudável. “O recomendado é comê-las no lugar de outro alimento, e não apenas acrescentá-las à dieta, senão essa pode se tornar muito calórica”.

Práticas e versáteis

Outra vantagem das oleaginosas é que elas equivalem a um lanche prático e versátil. Elas podem ser consumidas puras ou em iogurtes, barras de cereais, mix de frutas secas, batidas em sucos e vitaminas, acrescentadas em bolos e pães, ou ainda salpicadas em saladas e sopas. Desta forma vão deixar os pratos mais saborosos e saudáveis.

Castanhas, nozes e amêndoas em saquinhos também são uma ótima opção de lanche para se consumir entre as refeições, especialmente no trabalho. Isso porque são fáceis de armazenar e transportar, e também por aumentar a saciedade, controlando a fome por períodos mais longos.

Cuidado com o sal

Mas é importante prestar atenção ao acréscimo de sal ou açúcar. Se você for ingerir castanhas cobertas com chocolate, por exemplo, as porções precisam ser bem menores. “Deve-se sempre observar a composição nutricional para garantir que não tenha outras fontes de gorduras e excesso de sódio”, alerta Mariana Exel, nutricionista do Hospital Samaritano de São Paulo.

O acréscimo de sal é muito comum nas oleaginosas vendidas em saquinhos e o sódio (presente no sal) é o maior causador da hipertensão arterial. Além disso, quando essas frutas são torradas e salgadas, suas estruturas são alteradas, não fornecendo todos os benefícios já apontados.

Na hora de comprar oleaginosas, é preferível adquiri-las com a casca, sempre que possível. “Desta forma evita-se acelerar o processo de oxidação e envelhecimento”, explica Exel.  Mas se isso não for possível, escolha as sem sal e armazene na geladeira para evitar a oxidação.

O armazenamento dessas frutas e sementes também merece cuidado. “Os grãos inteiros devem ser guardados em recipientes impermeáveis e mantidos em locais frios e secos. Não devem ser guardados por mais de seis meses, para não se tornarem rançosos”, aponta Exel. Basta lembrar que a conservação inadequada do amendoim pode desenvolver fungos e, com eles, uma substância cancerígena chamada aflatoxina.

Porém, o principal é consumir castanhas, nozes e amêndoas com moderação. Afinal, apesar de todos os benefícios que trazem à saúde, elas são altamente calóricas. Um pacotinho de 100 gramas de castanha de caju, por exemplo, tem o mesmo valor calórico que um hambúrguer.

“Para se obter todos os benefícios citados, elas devem ser consumidas diariamente, uma porção de 20 a 30 g por dia (quatro a cinco unidades)”, explica Simone. Mais do que isso pode ter o efeito contrário, promovendo ganho de peso e outras consequências negativas para a saúde.

Fonte: uol