Blog

Venha conhecer a Paralelo 30 SUL

2018-02-Email_Visita

Nestas férias de verão leve seus filhos para a cozinha

Não sabe o que fazer para tirar as crianças do sofá? Que tal ensiná-las a cozinhar?

imagem 1 paralelo
Ensinar uma criança a cozinhar pode ajudá-la a assimilar a importância de uma alimentação saudável desde cedo.
Créditos da imagem: Skiterphoto.

Há muito tempo que as crianças não aproveitam mais o período de férias como uma oportunidade para sair e brincar, preferindo qualquer dispositivo eletrônico às praças. Isso não significa que elas tenham perdido completamente o interesse por qualquer atividade longe dos displays de smartphones. Uma das coisas de que mais sinto falta da minha infância, na década de 1990, são as horas que eu passava na cozinha com minha avó, o que me marcou profundamente e despertou em mim um interesse por culinária e alimentação saudável que dura até hoje.

Adaptar receitas para crianças pode não parecer uma tarefa fácil, ainda mais quando queremos mantê-las longe dos produtos convencionais, extremamente industrializados. Não é bem assim. Da mesma forma que eu, seus filhos também podem desenvolver um gosto para sabores poucos convencionais para essa faixa etária dos cinco aos dez anos de idade, isso depende apenas de você condicioná-los.

Em frente à minha escola haviam quatro nogueiras pecan em um gramado. Eu estudava à tarde, e quando chegava a época em que as nozes maduras caíam naturalmente dos galhos, eu e um amigo costumávamos sair da aula e ir direto para lá apanhar algumas nozes para comer enquanto esperávamos nossos pais. Um dia minha avó foi me buscar na escola e notou meu interesse pelas pecans. Quando chegamos em sua casa, ela me levou direto para a cozinha, onde de um armário tirou um saco de papel cheio de nozes descascadas. Eu tinha seis anos de idade, e minha avó me ensinou a fazer meu primeiro bolo: chocolate e nozes.

Pack nutritivo

imagem 2 paralelo
Saborosa e nutritiva, a noz pecan pode ser utilizada em inúmeras receitas.
Créditos da imagem: Tseiu.

Durante um bom tempo, essa iguaria foi um de meus lanches prediletos para levar à escola. Uma das coisas que mais me orgulhava era o fato de que era eu quem fazia o bolo – com supervisão de minha avó, mas meus colegas não precisavam saber disso na época.
Nunca perdi esse gosto pela noz pecan, e hoje ele se reforça por motivos que na época eu não compreenderia: suas qualidade nutricionais. É o maior dos clichês, mas conforme vamos ficando mais velhos, esse tipo de coisa começa a se iluminar em nossa mente como um outdoor em uma rodovia à noite, muito provavelmente devido a um certo tipo de peso na consciência que sentimos pelos descuidos do dia a dia. Adotar hábitos saudáveis vai ficando mais difícil com o tempo, contudo, crianças conseguem assimilá-los com facilidade. Como disse, levar seus filhos para a cozinha pode ser uma boa ideia, e pode ter efeitos positivos a longo prazo em seus desenvolvimentos. Sou suspeito, mas acredito que introduzir a noz pecan na alimentação de qualquer pessoa em qualquer faixa etária, é a forma mais simples de despertar o interesse por novos sabores e uma vida mais alinhada com sua saúde. Isso porquê além de saborosa, ela traz consigo incontáveis nutrientes importantíssimos

Só para se ter uma ideia, dentre as sementes e nozes, a pecan é uma das com a maior quantidade de gorduras mono e poli insaturadas, que desempenham um papel fundamental no controle do LDL, o “mau colesterol”, além de conter muito zinco – a deficiência de zinco e problemas relacionados ao colesterol estão entre as patologias que mais tem preocupado órgãos internacionais como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

E que tal combinar isso com cacau? Além uma fonte importante de magnésio e carboidratos, ele é rico em antioxidantes, especialmente flavonoides. Apesar de ouvirmos pouco esse nome, é importante saber que ele está listado como um dos principais aliados na prevenção a vários tipos de câncer. Recentemente, o cacau foi listado pela USDA, o órgão responsável por controlar a venda e distribuição de alimentos nos Estados Unidos, em sua lista de alimentos com mais quantidade de antioxidantes, junto com a pecan.

O resultado da combinação de nozes e cacau vai muito além do meu bolo predileto: é uma verdadeira barreira contra vários tipos de problemas de saúde. Saborosa e nutritiva, a noz pecan pode ser utilizada em inúmeras receitas.

Mãos na massa
Agora tudo que você precisa fazer é convencer as crianças da sua casa a largarem os smartphones e irem para a cozinha. Como aquela receita de bolo de chocolate e nozes não é exatamente simples para ensinar para uma criança, que tal começar com um fudge? Essa sobremesa de origem inglesa é bastante fácil de ser executada e não oferece riscos para as crianças que quiserem se aventurar com seus pais entre as panelas. Faço meu fudge utilizando a seguinte receita:

– 180 gramas de chocolate amargo;
– 1 colher de sopa de mel;
– 2 colheres de sopa de doce de leite;
– meia xícara de nozes pecan picadas.

Primeiro derreto o chocolate com um pouco de manteiga em uma panela em fogo baixo, adicionando logo após o mel e o doce de leite. Por último coloco as nozes. Depois, cubro uma assadeira com papel-manteiga para despejar a mistura. Levo à geladeira por aproximadamente duas horas ou até adquirir boa consistência, para que seja cortada em cubos.

Vale a pena tentar. No fim, além de ajudar a transformar suas crianças em adultos mais saudáveis, essas experiências ficam gravadas na memória para o resto da vida.

Referências
DEPARTMENT OF AGRICULTURE, Agricultural Research Service. 2010. USDA National Nutrient Database for Standard Reference, Release 23. Disponível em . Acesso em 21 de set. 2017. USDA. Oxygen Radical Absorsance Capacity in Selected Foods. Disponível em: . Acesso em 2 de nov. 2017. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global Status Report on Noncommunicable Diseases. New York, 2014.
Eduardo Ruedell – Acadêmico de Comunicação Social/UFSM e Editor de Conteúdo do portal de saúde Medictando.com.

Venha nos visitar!

A noz pecan é um investimento líder em rentabilidade comparado a outras atividades agropecuárias, garantindo a permanência do homem no campo, gerando renda e agregando valor às propriedades.

E para mostrar este universo, que nós da Paralelo 30 Sul Agrop. Ltda, receberemos no dia 02 de dezembro um grupo de pessoas interessadas em conhecer e investir nesta cultura. Neste dia haverá oportunidade de compartilharmos informações técnicas e comerciais sobre a noz pecan.

Então! Venha conhecer a Paralelo 30 Sul – excelência em noz pecan , aqui nós produzimos mudas com o mesmo padrão das que  plantamos em nosso pomar. Aqui produzimos frutas com a qualidade e a segurança desejada para serem consumidas por nossas famílias, colaboradores e consumidores, atendendo rígidos padrões de produção.

Conheça um dos maiores pomares de pecan do Brasil e faça parte desta excelência!

Faça sua reserva!!!

Maiores informações: 51. 7227393/ 51. 998937810 (whats).

Receita Fudge de Abacate

IMG_9805

Você vai precisar de:

2 abacates médios cortados em cubo

1 banana madura

¼ xícara de mel

? xícara de óleo de coco derretido

Um pouco de limão espremido

Uma pitada de sal

Nozes picadas

Coco em flocos

Modo de preparo:

  1. Em um liquidificador ou processador de alimentos, coloque as quantidades de abacate, banana, mel, óleo de coco, limão e sal. Misture até ficar cremoso, raspe as laterais conforme necessário.
  2. Coloque a mistura em um recipiente de 20×20 centímetros forrado com papel manteiga e jogue as nozes e o coco por cima, ou outros ingredientes de sua preferência!
  3. Deixe no congelador por pelo menos 3 hora.
  4. Retire do congelador e corte em quadradinhos.
  5. Bom apetite!

Confira todos os acontecimentos do Dia de Campo do Nos Pecan 2017

Conheça as instalações do Paralelo 30 – Noz Pecan

Dia de Campo da Noz Pecan

Perdeu o Dia de Campo da Noz Pecan? Então dá uma espiada no evento:

Dia de Campo da Noz Pecan

2016-04-dia-de-campoV2

Apelo nutricional favorece mercado de nozes e castanhas

O consumo de nozes do tipo macadâmia e pecan, castanha brasileira e castanha de caju – mais conhecida como do Pará – tem aumentado em todo o mundo, graças à maior conscientização do consumidor sobre o valor nutricional e os benefícios que estes alimentos proporcionam à saúde. Praticidade e sustentabilidade são outros apelos para o crescimento deste mercado no Brasil.

De acordo com José Eduardo Mendes Camargo, diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Departamento do Agronegócio (Deagro), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a cadeia produtiva de nozes e castanhas e frutas secas – chamadas de nuts – cresce anualmente na faixa de 6% a 8%, movimentando US$ 35 bilhões em todo o mundo.

“Nos últimos dez anos, os preços destes produtos aumentaram cerca de 400%, em dólares”, informou Camargo durante o 6º Encontro Internacional de Castanhas, Nozes e Frutas Secas, promovido pela Fiesp, em São Paulo, no último dia 5 de outubro.

A receita brasileira com as exportações anuais alcança US$ 133 milhões. Atualmente, o País vende ao exterior castanha de caju, castanha brasileira, noz macadâmia e noz pecan. “A seca tem prejudicado a castanha de caju nos últimos anos, no entanto há bom potencial de crescimento”, afirmou.

Ele ainda apontou outros indicadores positivos para o setor. “A proibição de queimadas nas plantações de cana-de-açúcar deve liberar áreas em encostas para outras culturas, com boa expectativa para a noz macadâmia. Outra boa notícia é que a castanha brasileira passou a ser cultivada”, ressaltou Camargo, que ainda destacou o aumento da produção de castanha de baru.

PRODUTORES

Os maiores produtores mundiais de castanha de caju são Índia, Vietnã, Brasil e Nigéria. De acordo com o diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Deagro, o País produz, atualmente, 82 mil toneladas de nozes e castanhas.

“Para garantir o crescimento médio anual de 6,5%, previsto para os próximos seis anos, o produtor precisa de crédito, além de pesquisa e desenvolvimento”, comentou.

Embora as castanhas e nozes tenham qualidades nutricionais, sejam sustentáveis e proporcionem alta rentabilidade, ele ressaltou que o setor necessita de mais pesquisa com foco no aumento da produção e da produtividade.

“Também precisa comprovar as propriedades das castanhas e nozes como alimentos funcionais, como ocorre em outros países, e também sua importância para a indústria de cosméticos”, destacou Camargo.

Também presente durante o encontro da Fiesp, o vice-presidente de Inovação da Natura, Gerson Pinto, destacou o potencial das nozes e castanhas no segmento de cosméticos. “Trata-se de um mercado muito grande (o de cosméticos), e o Brasil já é o terceiro do mundo, atrás somente dos Estados Unidos e Japão”, ressaltou.

PESQUISA

Professora titular da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Silvia Cozzolino citou os resultados de uma pesquisa com a castanha brasileira, como fonte de selênio, mineral que potencializa o sistema imunológico e que funciona como antioxidante, participando do metabolismo dos hormônios da tireoide.

“Também tivemos efeitos positivos do consumo de uma castanha do Brasil ao dia, por pacientes com Alzheimer, com comprometimento cognitivo leve e no sistema imunológico de pacientes submetidos à hemodiálise”, contou a professora, durante encontro.

Pesquisador da Embrapa Instrumentação, Luiz Alberto Colnago apresentou algumas tecnologias disponíveis para produtores rurais e processadores de castanhas e nozes, como os testes não invasivos e de alta velocidade para determinação do teor e da qualidade do óleo de castanhas, “úteis para o melhoramento genético e controle de qualidade”.

Colnago citou ainda estudos sobre revestimento de nozes e castanhas com filme comestível, que ajudam a aumentar o tempo de prateleira.

NEGÓCIOS

Presidente do Conselho Superior de Inovação de Competitividade da Fiesp e fundador da Nutrimental, fabricante das barras de cereais Nutry, Rodrigo Rocha Loures destacou o potencial das nuts para atender aos desafios sociais, econômicos e de saúde do Brasil.

Adriana Miglorancia, presidente da Nutty Bavarian, empresa com mais de 900 pontos de venda no mundo, lembrou que no Brasil, até 1996, as nuts eram consumidas quase exclusivamente no Natal. “A marca conseguiu alcançar, com o passar do tempo, o consumidor brasileiro fora de épocas tradicionais, como as festas natalinas”, disse.

Vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e diretor de Relações Governamentais do Grupo Pão de Açúcar, Marcio Milan, que participou do painel sobre oportunidades de negócios, afirmou que antes a chance de vender nozes e castanhas era restrita ao final do ano, mas houve uma evolução neste sentido.

Mesmo assim, ele salientou que “precisamos discutir formas para ajudar a cadeia a se desenvolver ainda mais”.

Fonte: MeioAmbiente

Feliz Páscoa!

2016-03-pascoa (1)

Página 1 de 712345...Última »