Blog

Venha nos visitar!

A noz pecan é um investimento líder em rentabilidade comparado a outras atividades agropecuárias, garantindo a permanência do homem no campo, gerando renda e agregando valor às propriedades.

E para mostrar este universo, que nós da Paralelo 30 Sul Agrop. Ltda, receberemos no dia 02 de dezembro um grupo de pessoas interessadas em conhecer e investir nesta cultura. Neste dia haverá oportunidade de compartilharmos informações técnicas e comerciais sobre a noz pecan.

Então! Venha conhecer a Paralelo 30 Sul – excelência em noz pecan , aqui nós produzimos mudas com o mesmo padrão das que  plantamos em nosso pomar. Aqui produzimos frutas com a qualidade e a segurança desejada para serem consumidas por nossas famílias, colaboradores e consumidores, atendendo rígidos padrões de produção.

Conheça um dos maiores pomares de pecan do Brasil e faça parte desta excelência!

Faça sua reserva!!!

Maiores informações: 51. 7227393/ 51. 998937810 (whats).

Receita Fudge de Abacate

IMG_9805

Você vai precisar de:

2 abacates médios cortados em cubo

1 banana madura

¼ xícara de mel

? xícara de óleo de coco derretido

Um pouco de limão espremido

Uma pitada de sal

Nozes picadas

Coco em flocos

Modo de preparo:

  1. Em um liquidificador ou processador de alimentos, coloque as quantidades de abacate, banana, mel, óleo de coco, limão e sal. Misture até ficar cremoso, raspe as laterais conforme necessário.
  2. Coloque a mistura em um recipiente de 20×20 centímetros forrado com papel manteiga e jogue as nozes e o coco por cima, ou outros ingredientes de sua preferência!
  3. Deixe no congelador por pelo menos 3 hora.
  4. Retire do congelador e corte em quadradinhos.
  5. Bom apetite!

Confira todos os acontecimentos do Dia de Campo do Nos Pecan 2017

Conheça as instalações do Paralelo 30 – Noz Pecan

Dia de Campo da Noz Pecan

Perdeu o Dia de Campo da Noz Pecan? Então dá uma espiada no evento:

Dia de Campo da Noz Pecan

2016-04-dia-de-campoV2

Apelo nutricional favorece mercado de nozes e castanhas

O consumo de nozes do tipo macadâmia e pecan, castanha brasileira e castanha de caju – mais conhecida como do Pará – tem aumentado em todo o mundo, graças à maior conscientização do consumidor sobre o valor nutricional e os benefícios que estes alimentos proporcionam à saúde. Praticidade e sustentabilidade são outros apelos para o crescimento deste mercado no Brasil.

De acordo com José Eduardo Mendes Camargo, diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Departamento do Agronegócio (Deagro), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a cadeia produtiva de nozes e castanhas e frutas secas – chamadas de nuts – cresce anualmente na faixa de 6% a 8%, movimentando US$ 35 bilhões em todo o mundo.

“Nos últimos dez anos, os preços destes produtos aumentaram cerca de 400%, em dólares”, informou Camargo durante o 6º Encontro Internacional de Castanhas, Nozes e Frutas Secas, promovido pela Fiesp, em São Paulo, no último dia 5 de outubro.

A receita brasileira com as exportações anuais alcança US$ 133 milhões. Atualmente, o País vende ao exterior castanha de caju, castanha brasileira, noz macadâmia e noz pecan. “A seca tem prejudicado a castanha de caju nos últimos anos, no entanto há bom potencial de crescimento”, afirmou.

Ele ainda apontou outros indicadores positivos para o setor. “A proibição de queimadas nas plantações de cana-de-açúcar deve liberar áreas em encostas para outras culturas, com boa expectativa para a noz macadâmia. Outra boa notícia é que a castanha brasileira passou a ser cultivada”, ressaltou Camargo, que ainda destacou o aumento da produção de castanha de baru.

PRODUTORES

Os maiores produtores mundiais de castanha de caju são Índia, Vietnã, Brasil e Nigéria. De acordo com o diretor da Divisão de Nozes e Castanhas do Deagro, o País produz, atualmente, 82 mil toneladas de nozes e castanhas.

“Para garantir o crescimento médio anual de 6,5%, previsto para os próximos seis anos, o produtor precisa de crédito, além de pesquisa e desenvolvimento”, comentou.

Embora as castanhas e nozes tenham qualidades nutricionais, sejam sustentáveis e proporcionem alta rentabilidade, ele ressaltou que o setor necessita de mais pesquisa com foco no aumento da produção e da produtividade.

“Também precisa comprovar as propriedades das castanhas e nozes como alimentos funcionais, como ocorre em outros países, e também sua importância para a indústria de cosméticos”, destacou Camargo.

Também presente durante o encontro da Fiesp, o vice-presidente de Inovação da Natura, Gerson Pinto, destacou o potencial das nozes e castanhas no segmento de cosméticos. “Trata-se de um mercado muito grande (o de cosméticos), e o Brasil já é o terceiro do mundo, atrás somente dos Estados Unidos e Japão”, ressaltou.

PESQUISA

Professora titular da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Silvia Cozzolino citou os resultados de uma pesquisa com a castanha brasileira, como fonte de selênio, mineral que potencializa o sistema imunológico e que funciona como antioxidante, participando do metabolismo dos hormônios da tireoide.

“Também tivemos efeitos positivos do consumo de uma castanha do Brasil ao dia, por pacientes com Alzheimer, com comprometimento cognitivo leve e no sistema imunológico de pacientes submetidos à hemodiálise”, contou a professora, durante encontro.

Pesquisador da Embrapa Instrumentação, Luiz Alberto Colnago apresentou algumas tecnologias disponíveis para produtores rurais e processadores de castanhas e nozes, como os testes não invasivos e de alta velocidade para determinação do teor e da qualidade do óleo de castanhas, “úteis para o melhoramento genético e controle de qualidade”.

Colnago citou ainda estudos sobre revestimento de nozes e castanhas com filme comestível, que ajudam a aumentar o tempo de prateleira.

NEGÓCIOS

Presidente do Conselho Superior de Inovação de Competitividade da Fiesp e fundador da Nutrimental, fabricante das barras de cereais Nutry, Rodrigo Rocha Loures destacou o potencial das nuts para atender aos desafios sociais, econômicos e de saúde do Brasil.

Adriana Miglorancia, presidente da Nutty Bavarian, empresa com mais de 900 pontos de venda no mundo, lembrou que no Brasil, até 1996, as nuts eram consumidas quase exclusivamente no Natal. “A marca conseguiu alcançar, com o passar do tempo, o consumidor brasileiro fora de épocas tradicionais, como as festas natalinas”, disse.

Vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e diretor de Relações Governamentais do Grupo Pão de Açúcar, Marcio Milan, que participou do painel sobre oportunidades de negócios, afirmou que antes a chance de vender nozes e castanhas era restrita ao final do ano, mas houve uma evolução neste sentido.

Mesmo assim, ele salientou que “precisamos discutir formas para ajudar a cadeia a se desenvolver ainda mais”.

Fonte: MeioAmbiente

Feliz Páscoa!

2016-03-pascoa (1)

Cosméticos veganos com noz pecã ganham popularidade com respeito aos animais e ao meio-ambiente

Apesar de representarem um nicho crescente no mercado, produtos e formulações ainda carecem de regulamentação em todo o mundo.

Xampu e condicionador nutritivos EverCre?me, 100% vegan, segundo a (...)Isentos de ingredientes e subprodutos de origem animal e livres de testes em animais, os cosméticos veganos têm conquistado consumidores engajados com a causa “cruelty free” e preocupados com o meio-ambiente. “Ainda que essa indústria seja relativamente pequena, é um nicho crescente”, revela Amarjit Sahota, presidente do instituto londrino de pesquisa sustentável Organic Monitor.

A gigante francesa de cosméticos L’Oréal, por exemplo, já conta com produtos que dizem ser 100% veganos nas linhas EverStyle e EverCrème de tratamento para os cabelos. “Muitas marcas de cosméticos naturais e orgânicos estão adotando o selo Vegan Trademark, da organização britânica Vegan Society, porque querem ser atrativas para consumidores que evitam ingredientes animais por razões religiosas, éticas ou de saúde”, ele explica. Segundo Sahota, a Vegan Society é um dos poucos órgãos que certificam os produtos veganos, já que ainda falta regulamentação nesse mercado. Por isso, ele não descarta a possibilidade do consumidor encontrar falsos cosméticos veganos nas prateleiras. A leitura dos rótulos e o entendimento dos termos é fundamental para confirmar se o veganismo está presente de fato.

“A classificação de vegano deve-se única e exclusivamente ao fato do produto não utilizar animais em toda a cadeia produtiva, e isso vai desde o início do processo de desenvolvimento até a chegada ao mercado”, afirma Cândice Felippi, diretora da fabricante de matéria-prima Inventiva. Especializada no desenvolvimento de ativos a partir da nanotecnologia, a empresa, sediada em Porto Alegre (RS), buscou trabalhar somente com matérias-primas que não tivessem origem animal desde sua fundação, em 2008. “Para comprovar a segurança e a eficácia dos ativos desenvolvidos, fazemos somente testes in vitro ou em humanos”, completa Felippi. Um dos carros-chefes dos ativos veganos é a linha LV, para cuidados com a pele e com os cabelos.

Ela inclui o Nutrinvent Balance (associação de óleo de semente de abóbora, óleo de melaleuca e óleo de alecrim); o Nutrinvent Hair (hidrolisados de proteínas de soja, trigo e aveia com licopeno); o Nutrinvent Ômega Oil (Ômegas 3, 6 e 9 extraídos dos óleos de sacha inchi, noz pecã e linhaça em microemulsão) e o Nutrinvent Ômega (Ômegas 3, 6 e 9 extraídos dos óleos de sacha inchi, noz pecã e linhaça em Inventsferas®). “As nanopartículas da LV contêm somente matérias-primas orgânicas ou naturais.

A ideia da linha verde é fazer um mix de orgânico, vegano e natural”, conta Felippi. Segundo ela, os maiores desafios na produção de uma nanopartícula verde são o preço e a escolha do conservante. As matérias-primas verdes geralmente têm um custo mais elevado, que consequentemente se reflete no preço da nanopartícula. Além disso, há poucas opções de conservantes verdes disponíveis no mercado. De acordo com Felippi, quem busca um cosmético que alie o componente vegano ao natural ou orgânico deve estar atento a ambas as classificações nas embalagens, já que o produto vegano pode ter em sua fórmula conservantes químicos, parabenos e outros ingredientes considerados alergênicos. Felippi afirma que não existem muitas dificuldades para o desenvolvimento de um cosmético vegano, mas a diferença de valores pode ser grande.

“Como o fator preço é decisivo para a maioria das empresas na hora da compra, nossos pesquisadores sempre procuram fazer um estudo aprofundado para escolher matérias-primas com um bom custo-benefício e, assim, viabilizar o uso de ativos verdes em nossas formulações”.

Fonte: BrazilBeauty

Receita de Empanada da Daphne, do MasterChef Júnior

werwerewr

Daphne, uma das concorrentes mirins mais promissoras da primeira edição do MasterChef Júnior, venceu uma concorrida prova das empanadas, no programa. Como prêmio pela vitória, a “Empanada da Daphne” entrou para o cardápio do restaurante de Paola Carosella. Vamos ver como preparar esta deliciosa receita? Confira:

Ingredientes

500 g de farinha

200 g de patinho moído

115 g de banha de porco

2 cebolas roxas

1 xícara de azeitona preta sem caroço

1 xícara de uva passa

1 xícara de água

1 tomate italiano

1 dente de alho

1 coentro

1 limão Taiti

1 limão Siciliano

Vinagre de vinho branco (a gosto)

Pimenta do reino (a gosto)

Noz pecã moída (a gosto)

Páprica doce (a gosto)

Cominho (a gosto)

Orégano (a gosto)

Azeite (a gosto)

Sal (a gosto)


Modo de preparo

sdfsdfsdfRefogue um punhado de cebola com um dente de alho. Deixe dourar. Coloque um pouco de cominho e páprica doce. Na mesma panela, coloque a carne junto com mais cominho, páprica doce, sal, pimenta do reino e azeitonas. Quando a carne estiver cozida, coloque uma colher de requeijão e as uvas passas. Deixe esfriar.

Para a massa, peneire meio quilo de farinha. Em uma panela, esquente uma xícara de água com 10 gramas de sal. Desligue o fogo e coloque 115 gramas de banha de porco até derreter um pouco.

Coloque a farinha em uma tigela e jogue essa mistura na farinha. Misture tudo com uma colher. Sove a massa com a mão. Caso ache a massa farinhenta, coloque mais água. Depois de atingir o ponto, coloque a massa em uma tigela, cubra com plástico filme e deixe na geladeira entre 15 e 20 minutos.

Abra a massa em rodelas, do tamanho de uma xícara de boca grande ou cortador redondo, de espessura não muito grossa nem muito fina. Coloque uma colher de sopa de recheio. Molhe o dedo em água e passe na borda da massa. Feche em meia lua. Finalize o fechamento com um garfo. Pincele a empanada com leite e gema. Coloque para assar no forno bem alto até dourar.

Molho para acompanhar: Pique um tomate e meia cebola roxa em brunoise. Coloque o coentro, a páprica doce, o cominho, o orégano, o vinagre de vinho branco, raspas de limão Taiti, raspas de limão Siciliano, suco de meio limão Taiti, sal e pimenta do reino em uma tigela com bastante azeite. Misture bem. Adicione noz pecã moída ao final. Se quiser, decore com um limão cortado ao lado.

Tempo de preparo: 1h

Fonte: Areavip

Página 1 de 712345...Última »